sexo-relacionamento

Para a maioria dos casais, quanto mais sexo eles têm, mais feliz é o relacionamento.

QUANTO SEXO ESTÁ TENDO?

Vamos começar com as boas novas. Casais comprometidos realmente têm mais sexo do que todo mundo. Não acredita? Embora seja verdade que as pessoas solteiras podem agregar a você histórias de episódios sexuais loucos, lembre-se de que pessoas solteiras também passam por longos períodos de seca. Um relatório de março de 2017 descobriu que 15% dos homens e 27% das mulheres relataram que não fizeram sexo no ano passado. E 9% dos homens e 18% das mulheres dizem que não fizeram sexo em cinco anos. Os principais fatores associados a uma vida sem sexo são idade avançada e não serem casados. Então, se você está se envolvendo ou se faz sexo uma vez por semana, uma vez por mês ou apenas seis vezes por ano, o fato é que ainda há alguém com menos sexo do que você. E se você é uma daquelas pessoas que NÃO fazem sexo, isso vai animá-lo: os americanos que não fazem sexo são tão felizes quanto suas contrapartes sexualmente ativas.

Mas quem está contando?

Embora a maioria das pessoas mantenha sua vida sexual em particular, sabemos bastante sobre os hábitos sexuais das pessoas. Os dados vêm de uma variedade de fontes, incluindo o General Social Survey, que coleta informações sobre comportamento nos Estados Unidos, e o International Social Survey Program, um estudo similar que coleta dados internacionais, e estudos adicionais de pessoas que estudam sexo como o famoso Instituto Kinsey. Uma tendência recente é que a freqüência sexual está diminuindo entre os millennials, provavelmente porque eles são menos propensos do que as gerações anteriores a ter parceiros estáveis.

Com base nessa pesquisa, aqui está um pouco do que sabemos sobre sexo:

-O adulto médio faz sexo 54 vezes por ano.
-O encontro sexual médio dura cerca de 30 minutos.
-Cerca de 5% das pessoas fazem sexo pelo menos três vezes por semana.
-Pessoas na faixa dos 20 anos fazem sexo mais de 80 vezes por ano.
-Pessoas na faixa dos 40 anos fazem sexo cerca de 60 vezes por ano.
-Sexo cai para 20 vezes por ano aos 65 anos.
-Depois dos 25 anos, a frequência sexual declina 3,2% ao ano.
-Depois de controlar a idade e o período de tempo, aqueles que nasceram na década de 1930 fizeram sexo com mais frequência; as pessoas nascidas na década de 1990 (millennials) praticavam sexo com menos frequência.
-Cerca de 20% das pessoas, a maioria viúvas, são celibatárias há pelo menos um ano.
-A pessoa casada típica faz sexo em média 51 vezes por ano.
-Os casais “muito felizes” fazem sexo, em média, 74 vezes por ano.
-Pessoas casadas com menos de 30 anos fazem sexo cerca de 112 vezes por ano; pessoas solteiras com menos de 30 anos fazem sexo cerca de 69 vezes por ano.
-Pessoas casadas de 40 anos fazem sexo 69 vezes por ano; pessoas solteiras na faixa dos 40 anos fazem sexo 50 vezes por ano.
-Pessoas ativas têm mais sexo.
-As pessoas que bebem álcool têm 20% mais sexo do que abstêmios.
-Em média, a educação extra está associada a cerca de uma semana de menos sexo a cada ano.

COMEÇO É FREQUENTE

Uma das melhores maneiras de garantir que sua vida sexual permaneça robusta em um relacionamento longo é ter muito sexo no início do relacionamento. Um estudo da Universidade da Geórgia com mais de 90.000 mulheres em 19 países da Ásia, África e Américas descobriu que quanto mais um casal é casado, menos freqüentemente ele faz sexo, mas que o declínio parece ser relativo a quanto sexo eles eram tendo quando eles primeiro se juntaram. Aqui está uma olhada na frequência do sexo casado, comparando o primeiro ano de casamento com o décimo ano de casamento.
Por que o sexo declina no casamento? É uma combinação de fatores – às vezes é um problema de saúde, a presença de crianças, tédio ou infelicidade no relacionamento. Mas um fator importante é a idade. Um estudo descobriu que a freqüência sexual declina 3,2% ao ano depois dos 25 anos. A boa notícia é que o que falta aos casados ​​em quantidade é compensado pela qualidade. Dados da Pesquisa Nacional de Saúde e Vida Social descobriram que os casais casados ​​têm mais sexo gratificante do que os solteiros.

O CASAMENTO SEM SEXO

Por que alguns casais chiam enquanto outros fracassam? Cientistas sociais estão estudando casamentos não-sexuais em busca de pistas sobre o que pode dar errado nos relacionamentos.

Estima-se que cerca de 15% dos casais casados ​​não tenham tido relações sexuais com o cônjuge nos últimos seis meses até um ano. Alguns casamentos sem sexo começaram com muito pouco sexo. Outros em casamentos sem sexo dizem que o parto ou um caso levaram a uma desaceleração e, eventualmente, a parar o sexo. Pessoas em casamentos sem sexo geralmente são menos felizes e mais propensas a considerar o divórcio do que as que fazem sexo regular com o cônjuge ou parceiro comprometido.

Se você tem um casamento com baixo sexo ou sem sexo, o passo mais importante é consultar um médico. Um baixo desejo sexual pode ser o resultado de problemas médicos (baixa testosterona, disfunção erétil, menopausa ou depressão) ou pode ser um efeito colateral de um medicamento ou tratamento. Alguns cientistas especulam que o uso crescente de antidepressivos como o Prozac e o Paxil, que podem deprimir o impulso sexual, pode estar contribuindo para um aumento nos casamentos sem sexo.

Enquanto alguns casais em casamentos sem sexo são felizes, a realidade é que quanto mais sexo um casal tem, mais felizes eles estão juntos. Não é fácil reacender um casamento sem sexo há anos, mas isso pode ser feito. Se você não pode viver em um casamento sem sexo, mas quer permanecer casado, procure um médico, consulte um terapeuta e comece a conversar com seu parceiro.

Aqui estão alguns dos passos que os terapeutas recomendam para conseguir um casamento sem sexo no quarto:

-Fale um com o outro sobre seus desejos.
-Divirta-se e compartilhe novas experiências para se lembrar de como você se apaixonou.
-Mãos dadas. Tocar. Abraço.
-Faça sexo mesmo se você não quiser. Muitos casais descobrem que se forçam a fazer sexo, logo não se torna trabalho e lembram que gostam de sexo. O corpo responde com uma enxurrada de substâncias químicas cerebrais e outras mudanças que podem ajudar.
-Lembre-se de que não há um ponto de ajuste para a quantidade certa de sexo em um casamento. A quantidade certa de sexo é a quantia que faz os dois parceiros felizes.

UMA PRESCRIÇÃO PARA UMA MELHOR VIDA SEXUAL

Se a sua vida sexual diminuiu, pode levar tempo e esforço para recuperá-la. A melhor solução é relativamente simples, mas muito difícil para muitos casais: comece a falar sobre sexo.

Apenas faça: faça sexo, mesmo que não esteja de bom humor. O sexo desencadeia reações hormonais e químicas no corpo e, mesmo que você não esteja de bom humor, as chances são de que você chegará rapidamente assim que começar.
Arranje tempo para o sexo: parceiros ocupados costumam dizer que estão ocupados demais para fazer sexo, mas, curiosamente, pessoas muito ocupadas parecem encontrar tempo para ter casos. O fato é que o sexo é bom para o seu relacionamento. Faça disso uma prioridade.
Palestra: pergunte ao seu parceiro o que ele quer. Surpreendentemente, este parece ser o maior desafio que os casais enfrentam quando se trata de reiniciar suas vidas sexuais.

As duas primeiras sugestões são auto-explicativas, mas vamos levar algum tempo para explorar o terceiro passo: conversar com seu parceiro sobre sexo. Dr. Hatfield, da Universidade do Havaí, é um dos pioneiros da ciência do relacionamento. Ela desenvolveu a escala do Amor Passionado que exploramos anteriormente neste guia. Quando o Dr. Hatfield conduziu uma série de entrevistas com homens e mulheres sobre seus desejos sexuais, ela descobriu que homens e mulheres têm muito mais em comum do que eles imaginam, eles apenas tendem a não falar sobre sexo um com o outro. Aqui está um exercício simples baseado na pesquisa do Dr. Hatfield, que pode ter um grande impacto na sua vida sexual:

Encontre dois pedaços de papel e duas canetas.

Agora, sente-se com seu parceiro para que cada um escreva cinco coisas que você quer mais durante o sexo com seu parceiro. As respostas não devem ser atos sexuais detalhados (embora isso seja bom se for importante para você). Idealmente, suas respostas devem se concentrar nos comportamentos que você deseja – ser falador, romântico, terno, experimental ou aventureiro.
Se você é como os casais na pesquisa do Dr. Hatfield, pode descobrir que tem muito mais em comum em termos de desejos sexuais do que imagina. Aqui estão as respostas que os casais do Dr. Hatfield deram.

Vamos ver o que os casais tinham em comum. Ambos os parceiros queriam sedução, instruções e experimentação.

A principal diferença para homens e mulheres é onde o desejo sexual começa. Os homens queriam que suas esposas iniciassem o sexo com mais frequência e fossem menos inibidas no quarto. Mas para as mulheres, o comportamento fora do quarto também era importante. Eles queriam que seu parceiro fosse mais caloroso, prestativo em suas vidas, e queriam amor e elogios tanto dentro quanto fora do quarto.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *